ARTHUR ARNOLD

FOTO%20Arthur_edited.jpg

Rio de Janeiro, RJ - 1984

Vive e trabalha em São Paulo

Arthur Arnold nasceu no Rio de Janeiro em 1984. Formou-se bacharel em Artes Visuais pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) em 2008. Durante a graduação, estudou por um ano na Universidade Bauhaus em Weimar, na Alemanha. Em 2013, alcançou sua primeira premiação importante, o Concurso de Arte Contemporânea do Itamaraty. Em 2014, foi selecionado para a oitava edição da residência Red Bull Station, em São Paulo. Em 2016, esteve entre os ganhadores do Arte Pará 35. Em 2017, foi convidado pelo cantão e pela cidade de Zurique, em parceria com o Gastatelier Gleis 70, para uma residência patrocinada na cidade. Entre suas principais exposições individuais estão “Em meio à multidão me perdi em mim” (2019), no Sesc Santana - SP, "Massas" (2018), “Estado de sítio” (2014) e “A fragilidade do poder” (2012), as três na Galeria Movimento. Entre suas principais coletivas destacam-se, “A primeira de muitas” (2016) no espaço Saracura - RJ, “Estranhamentos” (2015) no Centro Cultural da Justiça Federal - RJ, e “O mais esnobe dos escolásticos” (2013), na Galeria Um Zero Três - SP. Suas obras podem ser encontradas em coleções como a do MAR (Museu de Arte do Rio de Janeiro), do Itamaraty - Brasília e da Universidade Cândido Mendes - RJ.

 

obras

obras

SÉRIE: MASSAS HUMANAS

Em minhas pinturas retrato a paisagem humana formada por multidões. Por meio de uma pintura gestual, distorço e desfiguro características individuais para criar a sensação da massa humana. Para tal, uso grandes quantidades de tinta a óleo, moldando camadas espessas, muitas vezes com alguns centímetros de espessura.

Não quero discutir as motivações específicas de cada massa, mas o que acontece com o indivíduo quando está inserido em seu contexto. Quero pensar sobre o porquê de nos deixarmos ser absorvidos por suas identidades de grupo, sejam elas quais forem. A experiência da massa é libertadora. Ela nos livra momentaneamente do peso de nossos egos. Com meu trabalho trago uma reflexão ao público sobre os perigos e belezas que há nisso.

 

exposições

 

vídeos